Thursday, March 03, 2005

Amo-te muito



Amo-te muito, meu amor, e tanto
que, ao ver-te, amo-te mais, e mais ainda
depois de ter-te, meu amor. Não finda
com o próprio amor o amor do teu encanto

Que encanto é o teu? Se continua enquanto
sofro a traição dos que, viscosos, prendem,
por uma paz da guerra a que se vendem,
a pura liberdade do meu canto,

um cântico da terra e do seu povo,
nesta invenção da humanidade inteira
que a cada instante há que inventar de novo,

tão quase é coisa ou sucessão que passa ...
Que encanto é o teu? Deitado à tua beira,
sei que se rasga, eterno, o véu da Graça.

Jorge de Sena (1919-1978)

10 comments:

mfc said...

Todo o poeta é um pensador.
Sena é... um Pensador.

Menina_marota said...

Quando o sentimento é arrancado da alma...surge o poema e, o Poeta...

Linkei-te no meu "refúgio". Espero que não te importes...:-)

Jinho ;-)

Peter said...

Era, e foi, além de poeta e pensador e escritor, um lutador pela liberdade.

Peter said...

Olá "menina". Sempre "sócios". :-)

meialua said...

Conheço algumas das poesias de Jorge De Sena.
Gosto! ;o)
Beijos e bom fim de semana*

BlueShell said...

Assim não vale - eu ia colocar este poema no meu blog....BuÁÁÁÁ...

Jinho , BShell

Peter said...

"meia lua", bom fds tb para ti.*

Peter said...

Mas "Conchinha", tu tens outras possibilidades que não eu, és poetiza. Mas, se quiseres, retiro a poesia ;-)
Bom fds*

Paula said...

ora aí está! um poema a desejar toda a vida...
Beijinho e bom fim-de-semana!

Heloisa B.P. said...

EXCELENTE ESCOLHA, PETER* (como sempre!)!!
Estou lendo, parte do que tenho em atraso!!!
BJ.
Heloisa.
****************