Wednesday, April 27, 2005

Soneto das Definições


Image Hosted by ImageShack.us



Não falarei de coisas, mas de inventos
e de pacientes buscas no esquisito.
Em breve, chegarei à cor do grito
à música das cores e do vento.

Multiplicar-me-ei em mil cinzentos
(desta maneira, lúcido, me evito)
e estes pés cansados de granito
saberei transformar em cata-ventos.

Daí, o meu desprezo a jogos claros
e nunca comparados ou medidos
como estes meus, ilógicos, mas raros.

Daí também, a enorme divergência
entre os dias e os jogos, divertidos
e feitos de beleza e improcedência.


Carlos Pena Filho


Imagem: Esther Lúcio Bittencourt©




4 comments:

Márcia Maia said...

Peter querido,

estarei fora até segunda-feira. Deixo este poema de um poeta que muito amo, daqui, do Recife, ensolarado Nordeste brasileiro. Tomara que vc goste. ;)

Um beijo.

BlueShell said...

LINDÍSSIMO! Ainda estou doentinha. Big kiss. BShell

Peter said...

Márcia, aí está um poeta desconhecido para mim. Belo soneto com imagem a condizer.___ Florbela Espanca (1894-1930), fez o liceu em Évora. Foi precursora, com Irene Lisboa, do movimento de afirmação e emancipação literária da mulher.___ Dordio Gomes, também Alentejano como Florbela, era natural de Arraiolos, uma pequena vila a 20 kms de Évora. No óleo podem ver-se pintadas ao fundo, à esquerda, as torres da Sé de Évora. Este pintor encontra-se exposto no Museu de Arte Moderna da Gulbenkian, aqui em Lisboa.

blimunda said...

bem vinda márcia. amigos do peter são meus amigos também...