Sunday, May 18, 2008

Recortes da imprensa - Publico 17 MAI 08

"A cultura da irrelevância está impante como nunca, espectáculo e "pathos" brilham no sítio que anteriormente ainda era frequentado, de vez em quando, pela razão, pelo bom senso, pela virtude. Esta é, obviamente, a melhor comunicação social, a melhor televisão para os governos, e o actual cuida bem que não lhe falte dinheiro para as suas 500 horas de futebol. Compreende-se: a bola não pensa, é para ser chutada.
(...)
O mundo agressivo e brutal do futebol, com a sua pedagogia de grosseria e violência, ordinário e vulgar, movimentando poderosos interesses políticos, nacionais, autárquicos e regionais, servindo uma economia paralela, que para nosso mal ainda é a única que funciona em muitos sítios, imerso em corrupção, não aflige nem preocupa ningém. A começar pelos nossos deputados, que dão a caução institucional da Assembleia da República a um dirigente desportivo acabado de sancionar por "corrupção tentada" e que saía de uma acareação num tribunal. Políticos e dirigentes desportivos ajudam-se mutuamente para impulsionar carreiras políticas que o mundo do futebol protege e apoia, e parecem a única que verdadeiramente mexe em Portugal, junto com os negócios da "alta".
(...)
Os acidentes são hoje a única coisa que mobiliza directores de informação, pressionados pelo controlo dos custos, a atirar a correr para Freixo de Espada à Cinta o "carro de exteriores" à compita com"outros "carros de exteriores", para mostrarem camião virado ou, melhor ainda, um autocarro, ou, se andarem depressa, um ferido a ser desencarcerado, ou um morto na berma. E então se houver crianças feridas ou mortas, melhor ainda para as audiências."

(José Pacheco Pereira)

1 comment:

Blueshell said...

Não dá! Diz "failure"...