Thursday, March 12, 2009

Amantes...


Dois amantes felizes fazem um só pão,
uma só gota de lua sobre a erva,
deixam andando duas sombras que se juntam,
deixam um único sol vazio numa cama.
De todas as verdades escolheram o dia:
não se ataram com fios, mas com um aroma,
e não despedaçaram a paz nem as palavras.
A alegria é uma torre transparente.
O ar, o vinho, vão com os dois amantes,
a noite dá-lhes as suas pétalas felizes,
têm direito aos cravos que apareçam.
Dois amantes felizes não têm fim nem morte,
nascem e morrem tanta vez enquanto vivem.

(Pablo Neruda)

3 comments:

Meg said...

E sobre os amantes fica pouco para dizer depois de ler este belíssimo poema de Neruda.
Porque "a alegria é uma torre transparente", vale a pena o Amor.

Um abraço

Menina_marota said...

"...Dois amantes felizes não têm fim nem morte,
nascem e morrem tanta vez enquanto vivem."

Pablo Neruda sabia de amor e de sensibilidades e isso está bem expresso neste magnifico poema que aqui partilhas.

Um beijo e uma excelente semana ;)

antonio - o implume said...

Um belo poema. Coloquemo-lo em prática.