Monday, March 02, 2009

Apetece-me


"apetece-me a fome e a vida,
o encher de mãos - apertando
e a sensualidade do tempo quando o dispo e o possuo vorazmente
lambendo-me.

apeteço-me, em carne e sangue, em sopro e quente,
(digo-te que me quero no teu leito de seda sombra, agora que chego)
e a frio, no arrepio do seio, picando todas as proximidades.

ainda antes,
o pressentir da minha forma,
que renasce e se reencontra na liquidez do todo,
trespassando os olhares felinos, os movimentos reptilíneos,
o respirar submerso dos muitos dedos,
executando a teia com que irei cobrir dos cabelos, o reflexo lunar.
inspiro e encho-me de imenso amor e fascínio.
seduzo-me."

("Analu" - Ana de Sousa, "fragmentos". Livro I - Ed. "intensidez")

3 comments:

Paula Raposo said...

Um poema lindo cheio de sensualidade!! Gostei imenso. Obrigada pela partilha. Beijos.

tecas said...

Sensualidade e erotismo num fascinante poema. Apetite de palavras poéticas sonantes de desejo.
Parabéns

Menina_marota said...

Apetece-me.. tudo isso e mais alguma coisa... ;)

Belo poema cheio de significados e sensibilidades.

Grata por o partilhares.

Beijinho ;)