Saturday, July 11, 2009

Os dias de Verão


“Os dias de verão vastos como um reino
cintilantes de areia e maré lisa
os quartos apuram seu fresco de penumbra
irmão do lírio e da concha é nosso corpo

Tempo é de repouso e festa
o instante é completo como um fruto
irmão do universo é nosso corpo

O destino torna-se próximo e legível
enquanto no terraço fitamos o alto enigma familiar dos astros
que em sua imóvel mobilidade nos conduzem

Como se em tudo aflorasse eternidade

Justa é a forma do nosso corpo”

( Sophia M B Andresen – foto Peter)

2 comments:

tecas said...

Uma vénia merecida pelo poema...sublinho: " tempo é de repouso e festa/o instante é completo como o fruto/irmão do universo é nosso corpo"
Excelente comparação...poética
Aquele abraço amigo poeta Peter's

Fragmentos Culturais said...

'Como se em tudo aflorasse eternidade' - que mais haveria a acrescentar neste poema imensamente 'humanista' de Sophia... corpo espírito em sintonia perfeita com Universo de que fazemos parte!

Excelentes férias, lindo mar este!