Friday, January 28, 2005

O corpo inicial

Alguém disse palácio para dizer mulher
ou a delícia de um nome que era desejo e mundo.
Um delicado navio rasgava o corpo na ausência
e morria na espuma de uns amorosos pés
da volúvel semelhança de uma estátua de veludo.
Era apenas um nome a abolição de um nome
descobrindo a primavera absoluta
com os ramos brancos de uma estrela
perfeita nos músculos da lâmpada.
No alto poderio das pernas no sumptuoso espelho
das ancas verdes cintilava o palácio
da adoração primeira com janelas de um navio
de sombra e de silêncio em que o oiro estremecia.
Opulenta pálpebra povoada
pelos frutos da água e de um fogo azul.
E se o nome morria na respiração do seio
a sua ferida era límpida e puro era o deserto.

(António Ramos Rosa)

2 comments:

EmbaixatrizdoBrasil said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Peter said...

Porquê "Sol" ?