Tuesday, February 22, 2005

Poema da simplicidade



Este pássaro tem deus lá dentro?
E também pousou no ramo de uma árvore?
E cantou?
Mas que sabe ele de tudo isto ou do universo?
Eu passei por ele e vi-o.
Senti-o por onde a água passou
Falei-lhe de todos os meus sonhos.
Ficou na árvore a cantar em todo o universo.

Talvez seja por isso que esta pedra onde me sento
E todas as manhãs me atravessam como uma ponte
Sejam uma alegoria ao mundo
Inclusive ao meu próprio sono e aos meus pequenos versos.

Sim.
Porque eu durmo
Quando pelo raiar do dia
Que não é o mesmo para todos em todo o lado
Se soltam pássaros do meu corpo
E voam para longe nesta simplicidade.


Dou conta neste momento
Que eu e o pássaro e deus lá dentro
Tudo voou.
Quem sabe se não é este o mistério da santíssima trindade
Que não o entendendo se me mostrou?

Maria Azenha
(por amabilidade e com a sua autorização, o que agradeço)

2 comments:

blimunda said...

" um deus passeando na brisa da tarde..."

mariah said...

um beijo, Peter.
e um dia bom.