Monday, April 25, 2005

25 de Abril, sempre!

25 de Abril de 1974

“Esta é a madrugada que eu esperava
o dia inicial inteiro e limpo
onde emergimos da noite e do silêncio
e livres habitamos a substância do tempo”




Revolução

“Como casa limpa
como chão varrido
como porta aberta

como puro início
como tempo novo
sem mancha nem vício

como página em branco
onde o poema emerge

como arquitectura
do homem que ergue
sua habitação”

(27 de Abril de 1974)

(Sophia de Mello Breyner Andresen)


As gerações nascidas depois, porque sempre viveram nela, não conseguem dar o devido valor ao bem inestimável que lhe foi entregue:

A LIBERDADE!

2 comments:

Márcia Maia said...

Mas quem viveu um tempo negro, de coerção e medo, como também vivemos aqui, jamais esquecerá a alegria sentida, aqui, do outro lado do mar, pelos cravos daquele distante e eterno, 25 de abril.
Meu beijo especial pra vc, hoje.

caterina said...

Foi por indicação do Manoel Carlos que aqui cheguei. E, olha, gostei de encontrar aqui, para já, Abril.