Saturday, April 23, 2005

Deixa-me dormir




Deixa-me dormir
quando
morre a noite.
Assim o amor
será absoluto
sacrifício
impassível sangue
árido prazer.

Deixa-me dormir
quando
morre a noite.
Assim o amor guardará
uma grega ilusão
de sonho
e embriaguez.

Deixa-me dormir
quando
morre a noite.
Assim o amor
terá merecido
a dor, veloz,
insustentável
e imoderada.

Deixa-me dormir
quando
morre a noite.
Assim o amor
dir-nos-á
sois abandonados
cristos
na boca de deus.

(Ana Marques Gastão)

3 comments:

ChuvaNegra said...

tenho passado, sem comentar. Vejo que mudaste a música. Andavas "com ele ferrada"...algum dia tinha de ser.
fartei-me de passear pelos blogs...resolvi criar um só meu.
Um homem faz o que tem de ser feito.

Peter said...

Esta música traz-me recordações agradáveis, por isso esforcei-me por encontrá-la disponível. Continuo com o blog colectivo, que cada vez está a ser menos colectivo: à excepção de um elemento do grupo, todos os outros têm os seus próprios blogs. É natural que dediquem mais tempo aos mesmos. Irei visitar o teu blog logo que possível.

Alma do Beco said...

'sois abandonados
cristos
na boca de deus.'

estes versos são inacreditáveis. um achado.

beijo daqui,

Márcia