Sunday, April 10, 2005

há-de flutuar uma cidade...



há-de flutuar uma cidade no crepúsculo da vida
pensava eu... como seriam felizes as mulheres
à beira mar debruçadas para a luz caiada
remendando o pano das velas espiando o mar
e a longitude do amor embarcado

por vezes
uma gaivota pousava nas águas
outras era o sol que cegava
e um dardo de sangue alastrava pelo linho da noite
os dias lentíssimos... sem ninguém

e nunca me disseram o nome daquele oceano
esperei sentado à porta... dantes escrevia cartas
punha-me a olhar a risca de mar ao fundo da rua
assim envelheci... acreditando que algum homem ao passar
se espantasse com a minha solidão

(anos mais tarde, recordo agora, cresceu-me uma pérola no
coração. mas estou só, muito só, não tenho a quem a deixar.)

um dia houve
que nunca mais avistei cidades crepusculares
e os barcos deixaram de fazer escala à minha porta
inclino-me de novo para o pano deste século
recomeço a bordar ou a dormir
tanto faz
sempre tive dúvidas que alguma vez me visite a felicidade


Al Berto

10 comments:

Grilinha said...

Bonito poema e que bela imagem. Boa semana.

Heloisa B.P said...

"(anos mais tarde, recordo agora, cresceu-me uma pérola no
coração. mas estou só, muito só, não tenho a quem a deixar.)

um dia houve
que nunca mais avistei cidades crepusculares
e os barcos deixaram de fazer escala à minha porta
inclino-me de novo para o pano deste século
recomeço a bordar ou a dormir
tanto faz
sempre tive dúvidas que alguma vez me visite a felicidade"
****************************BELISSIMO POEMA*!_BELISSIMA E INVULGAR IMAGEM!
SEu Bom Gosto e Sensibilidade sao uma constante, Meu Amigo!
_E' um prazer imenso visita'-Lo! sempre saio mais emocionada e, ou, com alguma mais valia!!
_OBRIGADA PETER*!
Um Abraco!
Heloisa.
*************************

Peter said...

Obrigado Heloísa. Sempre palavras amáveis de incentivo e condescendência para com as minhas limitações. Boa semana para si.

Márcia Maia said...

Chega a doer de tão belo. E a imagem é belíssima.
Beijo daqui, Peter, onde é outono.

Peter said...

Olá Grilinha! Tudo bem? Boa semana :-))

Peter said...

Márcia, você não quererá vir para a nossa equipa do "conversasdexaxa3" ? Precisamos de alguém que publique poesia brasileira e como a "Embaixatriz do Brasil" (Solange) não nos dá notícias ...

lique said...

A poesia de Al Berto é de uma beleza tão grande que nos põe água nos olhos. Lindo. Beijos

Menina_marota said...

Lindo este poema, conjugado com a imagem fica um momento de poesia soberbo...

Estive a pensar na música que, no meu entender, ficava bem neste Blog, ou seja, como se usa dizer, ia bem com "a cara dele"... e escolhi, para já esta... do Bon Jovi... completamente diferente da usual, mas acho que também liga aqui...

http://smtemplates.webcindario.com/morcegomusic/07-bonjovi_itsmylife.mp3


Um abraço ;-)

Menina_marota said...

Voltei... acabadinha de chegar do outro lado... ConversasdeXaxa3 e, depois do que li sobre a escolha da música e da preferência do Peter, de "Für Elisa" do Beethoven, que, sinceramente, não acho muito apropriado para aqui, (perdoa-me a franqueza), escolhi este que também gosto muito...

Adagio de Albinoni (deixo o link)

http://carabelta.free.fr/musica/midi/classica/albinoni_adagio.mid

Boas escolhas...

Abraço :-)

Manoel Carlos said...

Muito triste; a ver navios, bem a expressar a tristeza sebastiana que nos impregna.