Friday, September 16, 2005

Há palavras que esperam



Há palavras que esperam que o branco as desnude
para se tornarem transparentes e vazias
A delicadeza da lâmpada é uma oferenda do olvido
a folha flexível é uma luva vegetal para a mão que oscila

Como o abdómen de uma adolescente
a página suscita a fértil fragilidade
de uma caligrafia que se apaga sobre os sulcos de neve
Aí aparece a graciosa metade
Em que cintila o pólen da límpida abolição

Escrevo para ser contemporâneo das nuvens
Para pertencer à pobre e nua pátria inerte
Coberta pelo violento alfabeto dos cláxons
Escrevo para que se levantem os pássaros de areia
E ao pulverizarem-se espalhem a poeira do seu desaparecimento

(António Ramos Rosa, “Génese”, Roma Editora, FEV 2005)

12 comments:

mfc said...

Já não é a 1ªvez que transcreves Ramos Rosa o que muito me agrada.
A fotografia é explêndida!

Luna said...

Fotografia fantástica. Obrigada pela visita e comentário.

Peter said...

mfc, julgo ter sido o último livro publicado pelo ARR.
A foto não é minha, pertence ao meu arquivo e já não consigo identificar a sua origem.
As minhas fotos são "bilhetes postais" de locais que vou fotografando, durante as minhas deambulações pela Europa. Tenho muitas centenas (milhares?) que fui fazendo, mas torna-se um pouco dispendioso passá-las para CDs, como tenho vindo a fazer.

Peter said...

luna, iniciei-me (iniciaram-me ...) na poesia com o ARR. A foto não foi tirada por mim. Origem desconhecida.
Vamos ganhar ao Nacional?

lobices said...

...o link do Peter e o link do Magoo nunca sairam do meu blog
...nunca soube o porquê desse "desaguizado" mas como nunca senti culpa do que quer que fosse, mantive a linkagem
...por isso, claro que podes linkar
...um abraço

Peter said...

lobices, enviei-te um mail; espero que compreendas.
Abraço

maat said...

Bom domingo.
Obrigada pela visita.


Claro que pode colocar o excerto que entender.

Abraço,

heloisa said...

Deixo Meu ABRACO, Peter8!
Belissima IMAGEM!
OS POEMAS SAO SEMPRE DO MELHOR!
Fique BEM!
heloisa.
**************

lazuli said...

por mais belo que seja o poema, hoje concentro-me na música

Peter said...

lazuli, como sabes, é a sonata Für Elise, escrita pelo Beethoven a um dos seus amores.
Sempre gostei muito dela, não só pela música em si, como pelas recordações que me traz.

meialua said...

São poucos os poemas que conheco de António Ramos Rosa, e este foi mais um que passei a conhecer e de que gostei.

A foto e o poema fazem um conjunto esplêndido!

Beijos e uma boa semana*

Menina_marota said...

António Ramos Rosa e Beethoven, uma dupla que as minhas palavras não conseguem exprimir o quanto gosto de os sentir aqui...

Óptima escolha!

Um abraço terno ;)