Saturday, November 05, 2005

Terra Minha, Minha Terra



Uma tela imensa, desenfreada
na cor, na luz, na água decantada
entre vales luminosos e abundantes...
as veigas litorais tão deslumbrantes,
o brilho dos olhos das moçoilas
e na boca delas as papoilas...

Nos milénios dos castros, nas "alminhas"
sempre floridas nas estradas...
e as romarias!... de um povo inteiro,
inteiro e verdadeiro!... as mordomias
e o orgulho dos canteiros nas fachadas,
em granito, das "nossas" fidalguias...

Depois, à mesa, uma paleta
policromada de vinhos e sabores,
tão generosa de tudo, que os deuses,
no final do banquete adormeceram
como os deuses adormecem, meus senhores!

Sobrou-nos o chão p'ra caminhar e a quietude de um povo tisnado, sim, mas
manso e pouco mais que o delírio de poetas e pintores.

(Rui Pinto, Abril/1992)

7 comments:

heloisa said...

"Terra Minha, Minha Terra"...
Que Saudade imensa!!!
E...saudade tambem, de meus Amigos e, das Leituras que inteligente e sensivelmente, poem a minha disposicao!
PETER*, e' sempre um PRAZER acessar este ESPACO!
_Continuo "fora de accao"!
Ate' sempre!
Heloisa B.P.
**************

BlueShell said...

Tão ao meu gosto!

Beijo e Obrigada!

BShell

lazuli said...

a tua selecção de poesia está de parabens por mais este poema, que era perfeitamente desconhecido para mim. Um resto de bom domingo.

dulce said...

Passeei pelas palavras e vi o meu país.
Beijos.

A. Duarte Lázaro said...

Peter, venho apenas deixar-te um abraço amigo...
...desculpa mas a minha cabeça não dá para escrever mais.

vero said...

Oá Peter, quanto à musica no meu blog, sim, eu pus uma musiquinha, não consegues ouvir? Penso k funciona correctamente, pelo menos já recebi comentários a respeito da música!
Beijinhos***

Peter said...

vero, tens razão. Como vi a imagem, pensei ser vídeo. A música é bonita.*