Thursday, May 03, 2007

O resto é silêncio (que resto?)


Volto, pois, a casa. Mas a casa,
a existência, não são coisas que li?
E o que encontrarei
se não o que deixo: palavras?

Eu, isto é, palavras falando,
e falando me perdendo
entre estando e sendo.
Alguma vez, quando

havia começo
e não inércia,
quando era cedo
e não parecia,

as minhas palavras puderam estar
onde sempre estiveram:
no apavorado lugar
onde sou silêncio.

(Manuel António Pina, in “Poesia Reunida”(1974-2001), Assírio & Alvim.)

5 comments:

Papoila said...

Magnífico! Esse lugar onde se é silêncio é o lugar onde somos... apavorado ou não...
Beijo

Simplesmente louco said...

Gosto da forma como escreves, dentro do pouco tempo que tenho é um dos espaços que gosto de visitar.
Boa semana,
Um abraço

Nilson Barcelli said...

Excelente poema.
Boa semana. abraço.

Blueshell said...

Lindo...

Eu...ando por aqui a tentar viver....

Um beijo terno em azul

Dourado said...

Magnífica foto!