Saturday, February 23, 2008

Entre o ser e as coisas


Onda e amor, onde amor, ando indagando
ao largo vento e à rocha imperativa,
e a tudo me arremesso, nesse quando
amanhece frescor de coisa viva.

As almas, não, as almas vão pairando,
e, esquecendo a lição que já se esquiva,
tornam amor humor, e vago e brando
o que é de natureza corrosiva.

N'água e na pedra amor deixa gravados
seus hieróglifos e mensagens, suas
verdades mais secretas e mais nuas.

E nem os elementos encantados
sabem do amor que os punge e que é, pungindo,
uma fogueira a arder no dia findo.

(Carlos Drummond de Andrade, "Antologia Poética", Publicações Dom Quixote 2007)
Foto Peter

7 comments:

SILÊNCIO CULPADO said...

Peter
A minha música favorita num ambiente de sonho acompanhado por um belo poema.
Foi mágica esta visita.
Um abraço

lucia said...

a praia da batata:)
o mar estava belissimo neste dia, boa captação da magia, Peter

beijo

Mïr said...

Um bela escolha.

Paula Raposo said...

Um belíssimo poema!!

Peter said...

Obrigado Lúcia.

A foto é minha, o poema não.

Sonia said...

Uma beleza a sua foto! Bonita a poesia do nosso poeta!

Obrigada pelo comentário no meu artigo sobre os idosos! Concordo também com você!

Um abraço.

As Sombras de Fim do Dia said...

A fotografia está Fantástica, as palavras muito bem escolhidas de um génio, e acompanhado de uma música fabulosa...

Gostei! Bom Fim de Semana