Wednesday, March 05, 2008

Música de areia


Rangia entre nós dois a música da areia
como se fosse Agosto a dedilhar um sistro
Agora está fechada a casa onde te amei
onde à noite uma vez devagar te despiste

Floresça o clavicórdio em pleno mês de Outubro
Na harpa de Setembro entrelaçou-se a vinha
A que vem de repente entre os dois este muro
feito de solidão de sal de marés vivas

Podia conjurar-se a que não me esquecesses
Mas é longe do Mar que os navios são tristes
De que serve o convés com a sombra das rede

Quiz a tua nudez. Não quis que te despisses

- David Mourão-Ferreira, "Música de cama"
- Foto Peter

4 comments:

Nilson Barcelli said...

Este poema é sublime.

Bom resto de semana, abraço.

Paula Raposo said...

Faço minhas as palavras do Nilson. É sublime...a tua foto é muito bonita mesmo. Beijos.

Enfim... said...

muito giro...

não voltes é a por essas fotos tenho o mar a mais de 200km isso é cueldade ta?1lol

beijinhos

Bom fim de semana

Menina_marota said...

Um livro fabuloso este!
Não sei quantas vezes já o li...

Bj ;)