Tuesday, November 11, 2008

Sim…Podemos!...


Que o gesto seja faúlha na bigorna
E prenúncio da batalha
Por agora...

E o canto clamor dos homens
Larva ainda...

Que o surdo rumor do Mundo e os dias
Sejam a inquietante superação das horas
Na esperança breve das coisas
Que colhemos...

E a dissonante música seja eco na anca dos escravos
E os punhos sejam tela no olhar
Dos timoratos...

E que o Tempo germine
E que os sonhos tenham asas...

E então. Sim...
Podemos!...

(Publicada por “herético” às 0:16 de 10/Nov/2008 e cedida a sua publicação neste blogue, o que faço com prazer. Aguarela: “Brasil - escravos trabalhando em moinho de açúcar”)

4 comments:

antonio - o implume said...

Um belo e profundo momento de poesia!

Iana said...

Uiii... podemos... tudo podemos...
viajar nesta leitura... poema e versos... doçura e paixão... palavras da alma... escrita com coração...

Parabéns!!!

Quem sou??? Sou apenas uma rosa amiga trazida pelo vento
vindo te visitar...
gostei!

Beijos doces de uma simples rosa amiga
Iana!!!

LuzdeLua said...

E que o tempo germine
E os sonhos tenham asas.
Gostei
Passando por aqui, deixo-te um abraço amigo. E bons desejos para a semana que se inicia.

Tens tua vida em tuas mãos...
És o arquiteta/o de teu próprio destino,
Faça de teu caminho algo realmente divino!
(Karla Bardanza)
Bjs

leonor costa said...

Bonita poesia!

Boa semana

Um abraço

HOJE E AMANHÃ