Monday, November 16, 2009

Quero que tenhas umas palavras minhas de manhã...


São as palavras, apenas as palavras
entre tu e eu
que me embebedam de desejo
quando na noite
é o dia em que amor te vejo.

São as palavras, apenas as palavras
entre tu e eu
que entrelaçam a tua mão
no desejo que à noite
explode no centro da minha paixão.

São as palavras, apenas as palavras
entre tu e eu
que faço e desfaço no teu ventre
e te devolvo à luz do dia
no ardor da minha língua ardente.

São finalmente as palavras
e mais do que as palavras, o sabor
que clama por ti.
É assim que te amo na noite
do dia nascido,
do desejo sofrido,
da espada afiada,
da língua na língua,
da pele, dos poros,
dos cheiros, do silêncio,
da pessoa amada.

Entre tu e eu
sem as palavras na noite.
Entre tu e eu
nasce o fulgor.
Na noite já dia.
Entre tu e eu, no dia sagrado
do nascimento do amor.

(F. G.)

7 comments:

Paula Raposo said...

E quem não deseja essas palavras pela manhã?!!

Meg said...

Peter,

A Paula Raposo tirou-me as palavras.
Não tenho mais, fiquei sem fôlego.
Só queria saber quem é este Poeta!

Um abraço

Peter said...

Meg

Esta...

Meg said...

Peter,

Esta???

ESTE!!!

Peter said...

Meg

Qual esta?
Qual este?

São tudo liberdades poéticas.

Marta said...

Lindo, Peter...
Também gostava de ter estas palavras claras, cheias de desejo, amor no despertar da manhã...
Já não as tenho...mas recordo-as....
Adorei....
Beijos e abraços
Marta

Madalena said...

também eu já fiz uso desta imagem... há uns anos atrás... :)

beijinho, e boas palavras pela manhã :)) *