Wednesday, January 05, 2005

Nocturno

O desenho redondo do teu seio
tornava-te mais cálida, mais nua,
quando eu pensava nele ... Imaginei-o,
à beira-mar, de noite, havendo lua ...

Talvez a espuma, vindo, conseguisse
tornar-te o busto de uma renda leve
e a lua, ao ver-te nua, descobrisse,
em ti, a branca irmã que nunca teve ...

Pelo que no teu colo há de suspenso,
te supunham as ondas uma delas ...
Todo o teu corpo, iluminado, tenso,
era um convite lúcido às estrelas ...

Imaginei-te assim à beira-mar,
só porque o nosso quarto era tão estreito ...
- E, sonolento, deixo-me afogar
no desenho redondo do teu peito ...

(David Mourão Ferreira, "Obra Poetica" - 1948/88)

Em especial para a Márcia, que gosta do poeta e necessita de um gesto amigo ...

1 comment:

Márcia Maia said...

E quem não necessita de um gesto amigo? Agora, mais ainda que os versos — sempre belos e que me encantam — do poeta, me encanta este gesto de carinho, tão delicado e tão próximo, apesar do mar de permeio. O que me faz pensar: quão pequeno e tolo é este mar...
Um beijo grande, Peter. E obrigada de coração.