Sunday, April 09, 2006

Quotidiano



Sou eu. Sabes quem sou?
Não, não digas nada.
Sei apenas que estou
acabrunhada.
E se inclino o rosto,
se pareço uma pirâmide truncada
com sobrecasaca de frio,
é porque não gosto
de puxar o fio
à meada.

(Escadas escuras
subidas dia a dia.
Pernas cansadas
e solas gastas.
Harmonias acabadas
num gesto torvo.
Tremenda nostalgia
de iluminações vastas
e de calçado novo).

Pernas cansadas? Sim.
Magras? Talvez.
Aqui, onde me vês,
já fui assim
... roliça,
como bocejo na hora da preguiça ...

Aqui, onde me vês,
não é a mim que me vês.
É a magricela
que sobe aquela
escada de sonhos desiguais
que me constrangem.

- E ainda para mais
os meus sapatos rangem.

( Fernanda Botelho)

Nota

A partir de 1957 virou-se para o romance de inspiração existencialista (e daí o meu interesse pela sua escrita) onde insiste nos na frustração e na solidão humana, que já vinham sendo os grandes temas da sua poesia.

9 comments:

BlueShell said...

revi-me neste texto....

Devias chorar!

Um beijo...imenso!
BShell

lazuli said...

vim aqui conhecer melhor esta escritora, num recanto onde apetece voltar.
Bom dia, Peter.

Menina_marota said...

"Sou eu. Sabes quem sou?
Não, não digas nada.
Sei apenas que estou
acabrunhada.
E se inclino o rosto,
se pareço uma pirâmide truncada
com sobrecasaca de frio,
é porque não gosto
de puxar o fio
à meada."

Um abraço e uma feliz Páscoa ;)

dulce said...

Muito interessante. Não conhecia. Vou procurar mais para ler.
Beijos.

Heloisa B.P said...

TENHA VIVIDO UMA BOA PASCOA*, MEU CARO AMIGO*,Sao os VOTOS de
Heloisa.
************

zaratrusta said...

realize o sonho

amita I said...

Plá Peter. Não conhecia esta poetisa e pela amostra tenho de procurar mais poemas dela. Continuação de boas férias. Um bjo e uma flor

Heloisa B.P said...

JA' O CUMPRIMENTEI no *CONVERSAS DE XAXA*, MAS VENHO AQUI DEIXAR-LHE OUTRO AMIGO ABRACO*!!!!
_GOSTO MUITO DESTE SEU CANTINHO*!_mesmo quando nao deixo palavras, LEIO AS SUAS OU A DE QUEM CA' COLOCA, SEMPRE COM MUITO PRAZER!
Heloisa.
************

euexisto said...

lindo! não conhecia este texto, adorei mesmo. o peter é um espaço agradável, onde em vez de café com açucar, podemos tomar café com poesia.