Saturday, June 24, 2006

Ali ao pé da água



ali ao pé da água
o vento ajuntou
as mais finas areias

ali ao pé da espuma
o coração é quase
um rumor de beijos

estende os braços

pronta está a semente
que há-de ser música
flor ou sede ou água

ou talvez
o lume
no regaço do tempo

(José Alberto de Oliveira, in "Nos vidros da noite", 1983)

10 comments:

mixtu said...

ali... onde o amor renasce
muito bonito
abraços

Heloisa B.P said...

"pronta está a semente
que há-de ser música
flor ou sede ou água

ou talvez
o lume
no regaço do tempo"
*************************
**************************
*******************************NEM DIGO NADA!!!...
_FOTO A PRETO E BRANCO...SOBERBA!!!

FICA UM ABRACO!
Heloisa.
*********

maat said...

belo poema.

obrigada pela sua visita. já está disponível a página para que possa escolher o poema.


beixo um Bom dia.

Boa semana.


***maat

Arte por um Canudo 2 said...

Lindo poema...é música pela manhã.Abraço

Nilson Barcelli said...

Bonito poema que gostei de ler.

Dos outrs abaixo gostei em especial do poema do Nuno Júdice, que não conhecia.

Um abraço.

lusoblogger said...

Um belo poema, uma bela ilustração e uma bela musica!

abraço

alfazema said...

ali ao pé da água tudo acontece. foi mesmo na água que tudo começou e é ao pé da água que esse apelo mais profundo se sente e a vida renasce com outro sabor, com outra tonalidade, com outra sonoridade... com outra temperatura. bonito!
Um beijo

BlueShell said...

Gostei d eler...

Sim, triste...duma tristeza que pesa e dói...e lá ao fundo da estrada...não há nada...parece haver...mas não há...

tenho frio...

Beijos
BShell

Menina_marota said...

... ali ao pé da água, sereno minha alma, divago nos meus desejos...

Pela frescura da manhã, soube bem este momento...

Bom fim de semana ;)

Adryka said...

Belo poema, os poetas estão todos cheios de sensualidade, belo. Bj