Monday, July 10, 2006

Por caminhos


por caminhos
que levam
segredos antigos
ao mar

a noite se apressa
com madrigais
de furtivo olhar

é corpo
de núbil carícia
ou promessa

o princípio
da noite
a caminho do mar

(José Alberto de Oliveira, "Nos vidros da noite", 1983)

5 comments:

Rosalina said...

quis escolher o verso preferido...mas a cadência entre eles é tão necessária que não o consegui fazer.

Sophie said...

"Sento-me diante de um espelho. Não. Não me sento diante de um espelho. No entanto, diante de mim trago agarradas às mãos algumas folhas de papel surradas, uma caneta quase sem tinta e uma consciência pesada..."
beijos e boa semana

Secreta said...

Caminhos ... é vida é feita deles ...
Beijito.

Menina_marota said...

A tua escolha fez-me recordar uma poetisa que gosto muito.
É dela o poema que aqui te deixo, nesta madrugada quente...

"Quente, o teu coração quente
pulsa no lusco-fusco.
Palpita em toda a casa
deserta que nos vê.
Galga as sacadas altas,
corre nas avenidas.
É o silêncio do amor
que abre as veias na tarde...

Quente, o teu coração quente,
é uma estrela no escuro
que a pele das tuas mãos
prolonga em minha pele...
quem te amou e é já morto
renova a primavera.

Oh! doce comunhão
de desejo e infinito,
de saudades e de céu,
de paraíso e grito!

Água clara e tremente
a boca, a sede, a fonte.
Flor de sangue à corrente
o teu coração quente."

(Poema de Natércia Freire)

Velutha said...

também gosto muito de poesia. De Sophia a Cesário Verde, a Antero, a Garrett...
beijos