Saturday, August 12, 2006

O beijo



"Irene colheu uns talos de erva e levou-os à boca, mordendo-os para chupar a seiva. Voltou-se, fitou o amigo e ele sumiu-se nos seus olhos nublados. Sem pensar, Francisco atraiu-a para si e procurou a sua boca. Foi um beijo casto, tépido, leve, mas teve o efeito de um abalo telúrico nos seus sentidos. Cada um percebeu a pele do outro, nunca antes tão nítida e próxima, a tensão das mãos, a intimidade de um contacto ansiado desde o começo dos tempos. Um calor palpitante invadiu-lhe os ossos, as veias, a alma, algo que não conheciam ou tinham esquecido por completo, pois a memória da carne é frágil. Tudo desapareceu no seu redor. Para eles apenas contavam os seus lábios unidos, dando e recebendo. Na verdade, foi apenas um beijo, a sugestão de um contacto esperado e inevitável, mas ambos estavam certos de que este seria o único beijo que poderiam recordar até ao fim da vida e, entre todas as carícias, a única que lembrariam com saudade. Sabiam que, alguns anos depois, ainda evocariam com nitidez o contacto húmido e cálido dos seus lábios, o odor do mato fresco e a tormenta que ia nos seus espíritos. Aquele beijo durou como um suspiro."

(Isabel Allende, "De Amor e de Sombra" e óleo de Klint)

16 comments:

as velas ardem ate ao fim said...

Desculpa lá a serio o desabafo que não tem nada a ver com o teu belissimo texto.Mas eu adorava este quadro mas já não aguento a perseguição que ele me faz.Cheguei de ferias e lá estava ele numa replica no quarto do meu irmao.vou chorar.bjo

Cris said...

Eu gosto do texto, sei que Isabel Allende por vezes é lamechas, mas olha, paciência, sou lamechas e romântica. Os segundos que antecedem um beijo são os instantes mais intimos, dolorosamente intimos, que se tem com quem se ama. Um beijo é algo com que sonha, fantasia. Adoro beijos. Texto bem escolhido, quanto à imagem, bem....

rouxinol de Bernardim said...

Isabel Allende é pura poesia! Ser lamechas é um adjectivo piroso... não acho que ela o seja!...

Su said...

belo o excerto escolhido
e como sempre magnifico este oleo de klint

Paula Raposo said...

Excerto fabuloso! E que contém a pura verdade.

Luna said...

há beijos que ficam pela eternidade
beijos

BlueShell said...

Sei o que é um beijo assim....

Estou triste...
BShell

Paulo Sempre said...

«um suspiro» e nada mais...lol?

heloisa said...

ADORO ESTA PINTURA*! Alias, gosto muito, MUITO deste *PINTOR* (esta' entre os primeiros da minha preferencia!)! e, o Extracto escolhido "De Amor e de Sombra"... bom, e' ESCOLHIDO POR SI*!!!!!!!
Nao preciso dizer mais nada!
UM ABRACO!
OBRIGADA!
Heloisa.
**************

Tons Pastel said...

Imagem e texto em sintonia perfeita. Dois artistas, executantes perfeitos, um na pintura, outro na literatura.
Beijos

DE PROPOSITO said...

A musica (simplesmente bonita).
Saudações.
manuel

Leonoretta said...

ola. vim aqui pelos fragmentos da betty. de isabel allende conheço a casa dos espiritos. uma grande escritora. vi uma uma entrevista com ela na televisao. uma grande pessoa.

leonoreta

vero said...

Como estás querido amigo??
Beijinhos***

Louco said...

Talvez um dia... talvez... e sonho que alguns leiam o que escrevo e e que digam a outros que gostem e quem sabe eu perca o grande medo e escreva mais uns riscos de loucura.
Obrigado pela visita.
Abraço até um dia.

heloisa said...

Creio, ter-Lhe ja' dito, que tenho particular preferencia por ESTE PINTOR* e...ESTA PINTURA*!!!!!

Vim recrear os OLHOS!!!!!
Abraco.
Heloisa.
************

Choninha said...

Tive a sorte de vê-lo ao vivo, com as suas cores, em Viena, no Kunsthistorisches Museum. Não admiro Klimt, mas a esse quadro ninguém consegue ser indiferente.