Wednesday, September 20, 2006

Sequência


Foto: “sonhoalcova1”, tirada do Google


Se tu me fosses entregue

nu e adormecido num chão de suores quentes
eu obrigaria o silêncio a poisar na tua pele escura
e junto aos lábios carnais os teus lábios são vinhas
recolheria o sopro respiração ofegante
de animal e dobrada sobre o teu corpo
entregaria aos teus sonhos a seiva
que me inunda de dentro

Se tu fosses vinho

e me fosses dado na taça das mãos
derramar-te-ia nos seios far-te-ia
correr no terreno muscular até entrares
no monte negro e te perderes no desfiladeiro onde plantas línguas de vento

e ser-me-ia dado o mundo
para te viajar

Se tu fosses um menino acabado de nascer

e de mim fosses parido
lamberia os restos do meu ventre na tua primeira pele o meu colo aquecer-te-ia nu e logo o meu seio se derramaria na tua boca o meu sangue correria das pernas louco louco por te levar outra vez à gruta mãe

E se fosses um gato

um bicho louco nas minhas rochas
dar-te-ia a secura da pele
onde anotarias pássaros selvagens
novelos de terra e eu
cobra na tua sombra gritaria
à lua correria

e atiraria contigo
às sobras florestais do meu corpo
até ser um sulco na fúria das tuas garras

Mas se fosses o que és

e me fosses dado eu queimaria papiros
far-te-ia um ninho e não sei que poemas
alegres cantaria aos teus ouvidos

Ou se fosses o último

homem do meu tempo uma tempestade de estrelas
anónimas um rio sinuoso do paraíso
um rei moreno eu abriria
o coração à faca comeria baratas
abateria a família a tiro e subiria
à pata os degraus para o inferno

arfando no fogo
mastigando humilhações e vertendo
um animal saciado

(Poema de Luísa Ribeiro, natural de Angra do Heroísmo e publicado na excelente revista de cultura "Mealibra" do Centro Cultural do Alto Minho.)
)

12 comments:

Menina_marota said...

Fantástico este poema! Gostei imenso da forma como é diluído até se ter saciado o final...
Um abraço e bom fim de semana ;)

BlueShell said...

...."SE"...
Poema excelente...

Mas traduz isso mesmo: na vida ou nos confrontamos com o "SE"...ou com o "MAS"!!!
Que diabo! tem de ser asssim? Porquê?


beijo__te
BShell

BlueShell said...

Grata pela tua visita!
...e que tudo esteja bem contigo!

BShell

Ana Luar said...

Ai se tu fosses...
Se tu fosses...

fabulosamente lindo este:
Ai se tu fosses....

Beijo eterno Peter's eu quanto eu fico a pensar...

Se...

Paulo Sempre said...

Essas evidências do corpo
Esses triunfos do organismo
Uma tal evidência da carne arrebatada
Os ossos arrancados, separados
Da força vulcanica,
Isso não pode dizer-se claramente,
Isso vai absolutamente contra tudo,
É isso que estabelece estre nós:
O esquecimento do corpo.
O seu silêncio e a sua discrição.

E se fosse de outra maneira....

Abraço

Eduardo Leal said...

Um Poema fantástico... onde se sente o sentir dos açores.

Nilson Barcelli said...

Nunca tinha lido nada da Luísa Ribeiro.
Mas, a julgar por este poema, já deve ter livros publicados.
Um abraço.

Nilson Barcelli said...

Angra do Heroísmo , 13 de Maio de 2005

Direcção Regional da Cultura promove lançamento de livro de Luísa Ribeiro

O novo livro de Luísa Ribeiro, Outros Frutos, vai ser apresentado amanhã, sábado, às 20:30 horas, no Palacete Silveira e Paulo, em Angra do Heroísmo.

Trata-se duma iniciativa da Presidência do Governo Regional, através da Direcção Regional da Cultura, no âmbito das actividades do Centro de Conhecimento dos Açores.

A apresentação de mais esta obra da poetisa terceirense estará a cargo de Luiz Fagundes Duarte.

GaCS/FA



Acertei... Investiguei e apanhei logo esta notícia. Ele é mesmo escritora, tinha que ser com esta maneira de escrever.

Luna said...

Só mesmo uma escritora para nos enlear nessa teis sentida
beijinhos

BlueShell said...

só deixar um abraço
BShell

BlueShell said...

Que é feito de ti?
beijo
BShell

prozina said...

gostei de encontrar aqui um poema meu e estes comentários todos.
Não sei de onde foi retirado, mas há mais em blogues:

montedepecados.blogspot.com
umabismo.blogspot.com
numanoitequalquer-prozina.blogspot.com