Thursday, November 16, 2006

Sem Saída



Da tua sombra nasce a minha luz,
do teu puro silêncio a minha fala
e ainda é teu o olhar que me seduz
no presságio do sono que me embala.

Queria poder amar-te sem motivo,
já sem corpo nem alma nem passado
quando só tu me provas que estou vivo
no teu sorriso mais que desesperado.

Vem ter comigo, vem, enquanto a vida
nos abandona à flor do seu segredo:
ambos sabemos que não há saída

fora do nosso amor - ainda é cedo
e a noite é uma criança distraída
até ficarmos sós: não tenhas medo.

(Fernando Pinto do Amaral)

“ambos sabemos que não há saída”

(Tela de Gustav Klint)

13 comments:

Paula Raposo said...

Tudo belo!! Tela e poema...beijos.

Papoila said...

Um lindo poema para uma maravilhosa tela de Klint!
Beijo

Nilson Barcelli said...

Um poema cheio de ritmo, musicalidade e bem escrito.
Bem acompanhado pela foto.
Abraço.

}}cleopatra{{ said...

“ambos sabemos que não há saída”

A saída será apenas e sempre... os braços do amor!

Bjo soprado

Sandra Cardoso said...

Muito bonito, este soneto!
Carpe diem!!

Abraço

BlueShell said...

Belíssima combinação!

(...uma mulher apaixonada...é um "caso sério".... - tU me entendes)

Beijo__te
BShell

Heloisa B.P said...

Penso que o *Peter* ja' sabe, por outras ocasioes, que eu sou apaixonada por este PINTOR e, particularmente, por ESTA PINTURA!
costumo ate' enviar CARTOES POSTAIS com estas IMAGENS a alguns AMIGOS que "sofrem da mesma paixao"!
_OBRIGADA!!!
E.. O SONETO... ja' sabemos e' ESCOLHIDO A PRECEITO E.. a *SENSIBILIDADE*!!!
Fica um ABRACO!
*******************Aproveito para lhe dizer que aquele endereco que gentilmente deixou no "Heloisa..."_GRATA PELA VISITA_, nao funcionou mas REPESQUEI um velhinho la' perdido nos meus arquivos e, so' espero que ele ainda esteja activo!
_Diga-me algo acerca, por favor!

Lumife said...

Olá Peter. Hoje não fui ao "Conversas" e vim directo conhecer e deambular neste Peter's que mal conhecia e fiquei encantado com a diversidade de poemas aqui publicados. Como amante de poesia aqui me terás regularmente.

Um abraço

vero said...

Olá Peter, sim pode publicar o meu poema... sinto-me lisonjeada...
Obrigada
beijos mil***

Anonymous said...

Saltitando aqui vim parar e um belo post encontrar, poema belo, tela bem concebida, entrar foi facilimos, mas onde fica a saida?
Ok Sem saida! gostei está muito giro peço dsculpa pela intrusão mas disseram-me que este blog é bom. é giro e que valia a pena cá vir! E vim...
Abraço do Alexandre

maat said...

Belo como os dias de chuva e arco-íris, imprevistos.
Adoro Klimt.


***maat

BlueShell said...

Era só para te dizer que estou apaixonada! E...como podes imaginar...sofro, sofro muito! Sofro com a alma e com cada pedaço da minha pele, do meu ser. Sofro por inteiro...e me desespero. Só isso , meu amigo!
deixo um beijo
BShell

Rosa Brava said...

O Beijo de Klint!

Não há palavras que descrevam a beleza desta imagem!


“ambos sabemos que não há saída”

A Vida em movimento
redutora de sentimentos...

Como vos compreendo...

Um abraço ;)