Saturday, February 10, 2007

MORTE


“E se Eu morresse
hoje no meu quarto
só contigo a meu lado,
gostaria modestamente,
que tu, não desses
muita importância
ao facto
e gostava que tu
te fosses divertir,
mas se na realidade,
existe
vida depois da morte,
gostaria que me
segurasses a mão
e me beijasses a face,
mas para logo a seguir,
sorrires,
porque o teu sorriso
é a minha razão de viver,
e se Eu puder
mesmo depois de morto
observar
essa tua expressão
será a minha razão
de continuar
morto.”
(desconheço o autor)

5 comments:

Kalinka said...

Uma forma de «ver» a MORTE bonita, com estas lindas palavras.

lá no kalinka, o tema é o Amor, convido-te para ires deixar um pouco de Amor,
um miminho para mim!!!

HOJE - domingo lá estaremos, no cumprimento do nosso dever cívico.

Bom fim de semana.
Grande beijo.

Paula Raposo said...
This comment has been removed by the author.
Ana Luar said...

Belíssimo Peter.... belissima escolha.

Relembrei algo que escrevi em tempos....

Quando eu morrer
Levarei comigo, toda a dor
A minha…
A tua…
A do mundo.
Quando eu morrer…
Lágrimas abreviadas no tempo da espera
Fluirão numa culpa libertina
Pela timidez de palavras não reveladas.
Quando eu morrer…
Dispenso flores…
Gritos.
Choros…
Lenços...
E todo ou qualquer fingimento.
Quando eu morrer…
Dispenso os lábios quentes de vida
no meu rosto gelado.
Quando eu morrer…
Não quero lutos…
Nem véus, nem rezas,
nem curiosos
muito menos mentiras.
“Do pó nasceste, ao pó voltarás”…
Esta é a única verdade que levarei, de vossas bocas.
Quando eu morrer…
Não quero, cortejo fúnebre…
nem caixão.
Quando eu morrer ….
Leva-me ao colo, amor…
E deixa-me no meio dos meus lírios azuis…
Quando eu morrer…
Ai amor! … Quando eu morrer,
Não me sigas… Por favor.
Quero ir só!

Peter said...

Ana Luar

Normalmente não respondo aos comentários neste blog, porque não o considero um blog, mas "um espaço onde guardo coisas que me dizem algo".

Excepcionalmente faço-o por 3 motivos:

1º- Porque gostei muito do teu poema. Não sou crítico e, por isso, não posso dizer se é bom ou se é mau. Simplesmante, gostei.
2º - Por me fazer lembrar uma amiga que sabia ir morrer e que pediu para ir vestida de vermelho e que contratassem uma banda de música (era na província) para ir a tocar no funeral. Fizeram-lhe a vontade no que respeita ao vestido vermelho, mas as autoridades não autorizaram a banda de música.
3º - Porque não sei quem é o autor do poema que publiquei? Por acaso sabes?

Papoila said...

Peter:
Muito bonito este texto de autor desconhecido.
Esta a verdadeira forma de amar.
Beijo