Thursday, January 17, 2008

(HOJE! AGORA E AQUI)


HOJE!
AGORA, AQUI,
Neste exacto momento
Em que pressiono as teclas
Ao SOM do PIANO
(Som de Fundo, de PALAVRAS DE ELEIÇÃO!)
Eu revejo o Filme
Perdido na TELA DO TEMPO
E ouço a MÚSICA
das tuas palavras
Proferidas
- E QUERIDAS - !...
E vejo (OU SONHO)
As Imagens, ou as
MIRAGENS
Do que é (FOI) Desejo contido
ARREBATADO SENTIR
E ... quase posso ouvir-te
RESPIRAR
E, a meus ouvidos, o som
DA TUA VOZ
EMBALAR
- O MEU SONO E O MEU SONHO -
E, de certezas
(INCERTEZAS)
Eu querer
Meus dias construir
E ...
ACREDITAR
Que ao SOM DO PIANO
Que toca BAIXINHO
Dizendo de mansinho
Para eu não ACORDAR!...
E, no EMBALO DA MELODIA
Nos Teus Braços
Ver o alvor do DIA
DE AMANHÃ
(Quiçá do ONTEM?...)
Enganador PRETÉRITO
Que desmente o prometedor
FUTURO!
HOJE!
AQUI!
AGORA!...
Eu quero ACREDITAR
- SONHAR QUE NÃO SONHEI -
Que UM DIA
TE AMEI!
UM DIA ME AMASTE
E ... SUSSURRASTE, A MEU OUVIDO
DOCES CANÇÕES DE EMBALAR
AO SOM DAQUELE PIANO
QUE ... DOLENTEMENTE,
- DOCEMENTE -
(TRISTEMENTE)
NÃO CESSAVA DE TOCAR!.../
- NÃO CESSA DE ME ENCANTAR - !!!
- PALAVRAS MELÓDICAS
- MELODIA DO SOM -
Que VOLUPEIA AMOR/PAIXÃO
REALIDADE
PROMESSA
OU ... ILUSÃO!???
(CRIATIVA - CRIAÇÃO)
Do MEU DOLORIDO
APAIXONADO CORAÇÃO !!!!!!!!!!!!!!!!!!
- HOJE!
- AQUI!
- AGORA!...
Eu vejo o FILME
A PRETO E BRANCO
NA TELA DESCOLORIDA
PELA FALTA DO SOL*
QUE É TUA PRESENÇA ILUMINADA !!!!!!!!!!
ASSISTO AO FILME
SENTADA NA POLTRONA DESCOLORIDA
"DA NÃO VERDADE!"
HOJE! AGORA E AQUI ...
EU ESCUTO O SOM DO PIANO
E... LANÇO AO VENTO
(O TAL VENTO!...)
O MEU GRITO OU
MEU MURMURADO LAMENTO
NA EXPECTATIVA
(IDIOTA)
QUE CHEGUE A TI*
O ECO DA MINHA ALMA EM TORMENTO!...
- OH! *VENTO*
LEVA-ME NAS TUAS ASAS*
OCEANOS ALÉM...
OU ... PIEDOSAMENTE,
DEPOSITA-ME NESSAS ÁGUAS
- OCEÂNICAS E TEMPESTUOSAS ...
- HOJE!
- AGORA!
E ... AÍ !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
(EM TI*) .................................................

Sabina Vassalo (Heloísa B. P.)

Este poema foi publicado no livro *Divagando*, que me foi oferecido pela autora, pessoa a quem eu admiro pela sua coragem e apego à vida.

7 comments:

Kalinka said...

HOJE, estive AQUI...
LI...e, ADOREI.
Quantas coisas boas se podem fazer ao SOM DO PIANO.
Heloísa, já tinha ouvido falar, mas nunca me tinha debruçado sobre a sua escrita, está de Parabéns!!!

Bom fim de semana.

Vieira Calado said...

A música, para mim, transcende sempre as palavras.
Porquê?
Por que a música é a arte abstracta, por excelência!

E continue a ler quem sabe, seja em matéria de astronomia, seja noutras disciplinas.

Bom resto de Domingo.

Meg said...

Que bela surpresa, Peter!
Como é que só hoje soube deste espaço?
E Fur Elise...
Voltarei concerteza, para ler mais trás.
Valeu a visita.

Um abraço

Paula Raposo said...

Magnífico poema!! Gostei imenso de o ler e de o sentir...beijos.

Menina_marota said...

Ler este poema da minha querida Heloísa, ao som de Fur Elise, torna este momento, realmente especial.
Grata pelas tuas palavras, também eu gosto de Ramos Rosa e aproveito ára te deixar aqui um poema que também gosto muito.

"Quando a palavra é mais do que um corpo de sílabas
é porque o seu movimento tem o aroma do repouso
no extremo limite do obscuro
e o seu suor é deslumbrante
Nas suas hastes oblíquas cintila o translúcido sangue
ou ascende uma onda branca com a frescura de um naufrágio
Às vezes os dedos estremecem numa ternura de melodia
e o canto quase se evapora na sua líquida ossatura
Quando as sílabas fulguram como as artérias de um muro
abrem-se as janelas do mar e lêem-se os ramos do azul
Se o caminho se cala mas sem esquecer o branco
é porque as ancas nuas da água sob uma abóbada de pássaros
vão de praia em praia modelando as conchas clandestinas
Para a torrente sem leito a palavra estende uma tapeçaria
de musgo
e todo o ritmo da água será uma sequência de portas de
passagens de alianças
Mesmo nos músculos do incêndio pode fermentar o orvalhar
e a profundidade da pedra ocultar uma nascente
Na orla do seu próprio movimento
um gesto germinou sobre um solo calcinado
e desenhou uma rosa de nervuras verdes
nas voluptuosas virilhas de uma pedra vermelha"

(Poema de Ramos Rosa in As Palavras)

Um abraço carinhoso e boa semana ;))

Nilson Barcelli said...

Já tinha lido alguns bons poemas da Heloísa. Este não foge à regra e será, até, um dos melhores que li dela.

Parabéns à autora e a ti pela partilha.

Abraço.

Heloisa B.P said...

MUITO E MUITO OBRIGADA, CARISSIMO E GENTIL AMIGO!

PECO PERDAO DE MEU TARDIO AGRADECIMENTO!_TARDIO MAS SENTIDO_!
GRATA PELA SUA GENEROSIDADE E GRATA TAMBEM, AOS SEUS VISITANTES E AMIGOS (ALGUNS MEUS AMIGOS TAMBEM!)PELAS GENTIS PALAVRAS QUE DIRIGIRAM AO MEU "PROSEMA"!!!!!
_COM A MAIORIA DE VOS ESTOU EM DIVIDA, PORQUE NAO MAIS ME FOI POSSIVEL VISITAR VOSSOS ESPACOS DE ESCRITA! Mas.... a pouco e pouco vou passando pela *CASA DE CADA UM*!
_Devagarinho... porque, por ora "ando muito devagarinho"!...

FICA O AMIGO ABRACO!!!
E... LINDO POEMA DEIXOU A QUERIDA *OTILIA******!
KALINKA*****,
PARABENS POR MAIS UM ANIVERSARIO DE SEU BLOGUE******!
_PAULA RAPOSO*****, volta que nao volta vou ler SUA POESIA (silenciosamente, como na maioria dos casos!)!
O mesmo acontece com o Nilson*****! Mas talvez desde o principio do ano nao tenha la' voltado_PERCO EU!_!

MEG*****
VIEIRA CALADO*****, Conheco menos bem, mas tentarei cONHECER MELHOR!

PRIMAVERA EM VOSSOS JARDINS E MUITO EM ESPECIAL, NOS VOSSOS CORACOES!

_FIQUEM EM SAUDE E ALEGRIA!

Heloisa B.P.
.............