Monday, June 20, 2005

Femina



Não lavei os seios
pois tinham o calor
da tua mão.

Não lavei as mãos
pois tinham os sons
do teu corpo.

Não lavei o corpo
pois tinha os rastros
dos teus gestos;
tinha também, o meu corpo,
a sagrada profanação
do teu olhar
que não lavei.

Nem aqueles lençóis,
não os lavei,
nem os espelhos,
que continuam
onde sempre estiveram:
porque eles nos viram
cúmplices, e a paixão,
no paraíso,
parece que era.

Lavei, sim,
lavei e perfumei
a alma, em jasmim,
que é tua, só tua,
para te esperar
como se nunca tivesses ido
a nenhum lugar:
donde apaguei
todas as ausências
que apaguei
ao teu olhar.


(Soares Feitosa)


Nota: Este poema, no modo mulher, é uma variante (e homenagem) ao poema "Lembranças" de Angela Schaun

8 comments:

amita said...

Lindo poema , Peter. Já andei à procura de Angela Schaun e do poema "Lembranças" mas ainda não encontrei (só por curiosidade). Bjo

BlueShell said...

Como sempre...uma escolha magnífica...

Um beijo do fundo do coração.
Muito obrigada por estares desse lado. BShell

Peter said...

Amita e o quadro do Ticiano é uma maravilha. Esqueci-me de mencionar o autor e o título: "Mulher ao espelho".

Peter said...

"Muito obrigada por estares desse lado" - ?

Manoel Carlos said...

Bela escolha, sensível e bem arquitetado.

Menina_marota said...

Bem... ando outra vez com problemas em deixar comentário!

Ontem deixei aqui um e, naõ entrou...bem... o que eu tinha dito ontem... já não tem o impacto hoje...

Um belo Poema de Soares Feitosa, um dos que eu mais gosto!

E a imagem é soberba!

Gostei.

Abraço :-)

Peter said...

Obrigado Manoel Carlos. Já tenho saudades de te ler mas, como já te disse, não consigo aceder ao teu blog.

Peter said...

Menina_marota, lamento, mas é a primeira queixa nesse sentido que recebi ao longo dos 8 (julgo) meses que leva o blog.